cisto

Qual a diferença entre cisto e câncer no ovário?

De acordo com levantamento do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de ovário é o segundo tipo de câncer ginecológico mais comum. Por ser uma doença perigosa, sempre surgem muitas dúvidas sobre as diferenças entre cisto e esta neoplasia maligna.

Neste post, você irá conhecer tudo sobre a relação entre essas duas condições. Quer saber mais? Então, não perca tempo e continue a leitura.

O que é um cisto no ovário?

O cisto é uma espécie de bolsa formada por ar, fluido ou outro resíduo orgânico e que pode se desenvolver em qualquer parte do corpo. Na maioria absoluta dos casos, o diagnóstico de um cisto representa uma condição benigna e que desaparece espontaneamente.

Ainda, ter um cisto no ovário é uma situação comum entre as mulheres, principalmente entre os 15 e 35 anos. Além disso, esse quadro pode surgir várias vezes ao longo da vida. Ademais, o ovário pode ser acometido por diferentes tipos de cistos, sendo os mais comuns:

  • folicular: quando não há ovulação ou quando o óvulo não sai do ovário no período fértil;
  • corpo lúteo: quando se desenvolve após a liberação do óvulo;
  • hemorrágico: é o tipo que provoca sangramento na parede do cisto;
  • teca-luteína: um cisto raro que tende a acometer mulheres que usam remédios para engravidar;
  • dermoide: quando contém cabelo, dente ou fragmento ósseo, sendo o tipo encontrado em crianças;
  • adenoma: cisto benigno que deve ser retirado por laparoscopia;
  • fibroma ovariano: é o tipo mais comum na menopausa;
  • endometrioma ovariano: quando há endometriose nos ovários, também deve ser tratado com cirurgia ou medicamento.

Quais são os sintomas?

Geralmente, a presença de um cisto no ovário não provoca sintomas. Apenas quando passa a ter mais de 3 cm de diâmetro é que pode causar dor durante a relação sexual ou a ovulação, irregularidade na menstruação e sangramento fora do período menstrual.

Qual a relação do cisto com o câncer no ovário?

Na maioria dos casos, um cisto ovariano não representa um câncer, sendo uma lesão benigna que tende a desaparecer espontaneamente, mas que também pode ser retirada cirurgicamente. 

No entanto, as suspeitas pela malignidade surgem quando o cisto é duradouro, alcança um tamanho maior que o comum, possui septo espesso e área sólida. Porém, essa é uma situação pouco frequente.

Ainda, para avaliar se um cisto pode se transformar em um câncer no ovário, o médico deve solicitar o exame de sangue CA 125. Caso o valor seja elevado, pode indicar um tumor maligno. Apenas nos casos de endometrioma ovariano, esse resultado pode não representar um câncer.

Ademais, outra possibilidade de analisar a lesão é através da biópsia, procedimento que consiste na coleta de uma amostra do cisto para análise laboratorial. Esse método costuma ser utilizado quando a lesão possui componentes sólidos.

Enfim, embora haja a possibilidade de um cisto ovariano se tornar uma neoplasia maligna, as chances desta transformação ocorrer são mínimas. Quando o diagnóstico de câncer no ovário é descartado, a lesão só precisa ser retirada se causar algum tipo de desconforto na paciente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp