Saiba mais sobre o tratamento e a prevenção do câncer de pele e do melanoma

O câncer de pele é um dos tumores mais frequentes no mundo, que ocorre pela multiplicação desordenada das células do tecido epitelial, podendo ser classificado como não melanoma e melanoma.

O melanoma é o tipo de câncer mais agressivo e se desenvolve rapidamente, dessa forma, o tratamento deve ser iniciado o quanto antes para não afetar outros órgãos por meio da metástase.

Como prevenir o câncer de pele

Alguns hábitos precisam ser seguidos na prevenção do câncer de pele, sobretudo no que diz respeito à exposição solar:

  • use filtro solar diariamente, com o fator de proteção, no mínimo, 30. Espere 30 minutos para se expor ao sol, reaplicando o produto sempre que necessário;
  • evite se expor ao sol no momento de maior insolação, compreendido entre 10h e 16h;
  • use protetores físicos, como sombrinhas, chapéus e camisetas.

Além disso, é importante conhecer sua pele. O autoexame é simples e eficaz para detectar o câncer de pele precocemente. Observe a ocorrência de manchas que sangram, descamam ou coçam e de feridas que não conseguem cicatrizar. É preciso perceber também se as pintas mudaram de tamanho, cor ou forma.

Fatores de risco para o melanoma

Além das queimaduras solares provocadas pela exposição ao sol, esse câncer pode também ser causado por câmaras de bronzeamento artificial ou qualquer outro tipo de exposição aos raios UV. Isso ocorre porque esses raios são capazes de adentrar nas células, causando alterações malignas no corpo.

Pode ainda estar relacionado com fatores de risco familiares, genéticos e ambientais, incluindo:

  • pele clara, olhos azuis ou cabelo loiro;
  • dificuldade para bronzear;
  • sardas;
  • histórico de câncer de pele familiar;
  • ter uma doença autoimune.

Apresentando um ou mais desses fatores, uma consulta regular ao dermatologista deve ser feita para uma avaliação, a fim de identificar precocemente alterações na pele.

Tratamento para o câncer de pele

Em geral, o tratamento mais indicado é a cirurgia para retirada do tumor. Porém, há pessoas acamadas ou idosos com alguma doença relacionada que podem não ter indicação cirúrgica, ou ainda a cirurgia pode não ser suficiente para a retirada total do câncer. Nesses casos, outros tratamentos para erradicação do tumor devem ser indicados.

Tratamento do melanoma

O tratamento vai depender do tamanho, do estágio em que o câncer se encontra e da saúde geral do paciente. Em seu estágio inicial, é tratado com cirurgia para remover o tumor, o câncer muito fino é capaz de ser retirado durante a biópsia, não necessitando de tratamento complementar.

No caso de estágios avançados, o tratamento pode incluir também:

  • cirurgia para remoção de linfonodos;
  • quimioterapia;
  • radioterapia;
  • imunoterapia.

As pessoas que compõem o grupo de risco devem observar os hábitos de prevenção e fazer um acompanhamento regular. Pacientes que já sofreram com o câncer de pele ou melanoma também precisam de acompanhamento médico para eliminar qualquer chance de retorno da doença.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em Londrina!

 

Comentários
Dr. Rafael Onuki Sato

Posted by Dr. Rafael Onuki Sato