Cirurgia câncer de cólon

Como é o pós-operatório da cirurgia de câncer de cólon



O cólon é a maior porção do intestino grosso. É, também, a região na qual ocorre a maioria dos quadros de câncer intestinal. A ocorrência dessa forma de câncer pode estar associada a fatores genéticos, dietéticos e ambientais. Além disso, os tumores no intestino são mais incidentes em pessoas a partir dos 50 anos de idade.

É importante destacar que 90% dos tumores no cólon começam a partir dos pólipos. São lesões benignas que se desenvolvem no revestimento interno do intestino grosso. Uma das maneiras mais eficientes de prevenir esse tipo de câncer é, portanto, detectar e remover precocemente os pólipos. Outras medidas preventivas consistem na adoção de alimentação balanceada, manutenção do peso saudável, abstenção de tabagismo e alcoolismo, bem como prática regular de exercícios.

O câncer de cólon é atualmente uma das neoplasias mais incidentes no mundo. Todos os anos são diagnosticados mais de 35 mil novos casos no país. A  boa notícia é que os tumores no intestino são tratáveis e curáveis, em boa parte dos casos, entretanto se diagnosticados precocemente.

A cirurgia de câncer de cólon é uma das alternativas mais efetivas no tratamento dessa condição, mas como qualquer outro procedimento cirúrgico, requer cuidados especiais no pós-operatório.

Quer saber as condições de vida do indivíduo depois da operação? Leia, então, o artigo completo.

Como é a cirurgia de câncer de cólon?

O foco deste artigo é o pós-operatório, mas, antes de aprofundar as informações sobre o que ocorre depois da cirurgia, é importante saber como ela acontece.

No caso de tumores pequenos, descobertos em estágio inicial, o médico pode remover a formação tumoral durante a colonoscopia. Os pólipos e tumores maiores que não podem ser retirados com o procedimento mais simples, podem ser removidos por meio de cirurgia laparoscópica. Na ocasião, o cirurgião costuma colher amostras de gânglios linfáticos a fim de investigar se o câncer se espalhou.

Quando o câncer de cólon aumenta para além das paredes do cólon, recomenda-se a colectomia  para remover a porção afetada pelo tumor, junto com uma margem de tecido sadio dos dois lados, por medida de segurança. A operação geralmente é bem-sucedida, mas, como em toda cirurgia, há riscos. Entre eles, por exemplo, obstrução do cólon, recidiva da doença depois do tratamento, hérnia intestinal, infecção, hemorragia e necrose. A escolha de um bom cirurgião aumenta a segurança no procedimento, bem como amplia as chances de bons resultados.

Como é o pós-cirúrgico?

Depois da colectomia, o indivíduo permanece na sala de recuperação por algumas horas, sendo monitorado por enfermeiros e médicos. Após ser liberado para o quarto, aos poucos será estimulado a caminhar, devendo ser auxiliado para levantar e se movimentar.

É natural que apareçam alguns sintomas de mal estar, como tontura, náusea, sudorese e vômito. Entretanto, espera-se que esses desconfortos passem em pouco tempo. Ainda no hospital, é iniciada a dieta líquida, que continuará por aproximadamente 7 dias. Depois da cirurgia, os hábitos intestinais podem mudar e a diarreia, por exemplo, pode acontecer nas primeiras semanas.

Quais cuidados adotar depois da cirurgia?

Em determinados casos, os indivíduos precisam ter o cólon exteriorizado através de colostomia, um procedimento que requer colocação permanente ou provisória de bolsa especial para auxiliar na evacuação. Essa bolsa deve ser higienizada todos os dias e esvaziada sempre que tiver atingido 1/3 da capacidade. Além disso, deve ser trocada uma ou duas vezes por semana.

O retorno às atividades físicas deve ser liberado pelo médico. É feito gradualmente, começando com exercícios leves, que não demandem esforço excessivo.

É necessário ficar atento a possíveis reações, como irritação da pele ou febre. Ambientes com temperatura elevada devem ser evitados e, ao longo da recuperação, é fundamental adotar algumas medidas dietéticas, como, por exemplo, beber bastante água, evitar alimentos industrializados, frituras e excesso de sal. As refeições devem ser feitas em pequenas porções, sem grandes intervalos. Também é recomendável mastigar devagar e evitar líquidos durante a refeição.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em Londrina!



Comentários
Dr. Rafael Onuki Sato

Posted by Dr. Rafael Onuki Sato