Tratamento e prevenção do câncer de cólon e reto

O câncer colorretal, que acomete cólon e reto, resulta de interações diversas entre fatores genéticos, ambientais e alimentícios. Tem aumentado em incidencia no mundo todo ao longo dos ultimos anos.

Tem como uma de suas caracteristicas ter inicio previsivel e de fácil identificação com ações de prevenção secundária, devido a sua biologia de surgimento e evolução. Se inicia em pólipos a principio normais, sem displasia, que de acordo com as agressões sofridas, pode evoluir com displasia celular, em graus que variam e evoluem de baixo, moderado e alto grau, para então evoluir para um câncer em estagio inicial.

Tratamento do câncer de cólon e reto

O tratamento para essa doença dependerá de seu estágio. Em casos nos quais o câncer ainda não se desenvolveu, recorre-se ao tratamento cirúrgico, para remoção do pólipo. Às vezes,  pode ser necessária também a remoção de parte do cólon.

Quando o câncer de cólon e reto está no estágio 1, apresenta tumores anexados ao pólipo inicial ou as primeiras camadas internas do intestino. Como a doença ainda não se espalhou para outras partes do corpo, é possível realizar a remoção cirúrgica do tumor, removendo-se a parte intestinal afetada, após verificar que não há células cancerígenas em outras regiões.

Essa remoção inclui já a remoção dos linfonodos peri-intestinais para analise de doença tentando se disseminar por via linfatica.

A doença no estágio 2 tem um tumor já mais desenvolvido, afetando camadas mais externas do intestino.

Nesse caso, a cirurgia indicada continua sendo a ressecção da porção acometida do intestino com sua respectiva drenagem linfatica. Confirmado esse estagio, pode ser necessário recorrer à quimioterapia adjuvante.

Esse também é o tratamento indicado para o estágio 3 da doença. Neste estagio necessariamente se recorre a quimioterapia adjuvante, com ressalvas apenas para paciente que não tem condições clinicas para tal.

No estágio 4, em que a doença já está disseminada por outros órgãos e tecidos, torna-se improvável sua cura completa por meio da cirurgia. Entretanto, se as áreas de disseminação forem pequenas, poderão ser removidas por completo. Então, realiza-se a quimioterapia como tratamento principal.

Quando o câncer acomete o reto médio e baixo especificamente, iniciamos o tratamento com quimioterapia e radioterapia pré-operatorias que chamamos de neoadjuvante, para principalmente, aumentar as chances de preservação do esfincter anal.

Demais esquemas de tratamento podem como exceção ser instituidos em comum acordo do oncologista clinico, radioterapeuta e cirurgião, porém são considerados fora de protocolo, individualizados para cada paciente, de acordo com suas necessidades.

OBS – como quimioterapia adjuvante aqui não fizemos diferença entre quimioterapicos tradicionais, imunoterapia ou terapia alvo, apenas para fins mais didaticos.

Como prevenir o aparecimento da doença

As recomendações para a prevenção do câncer colorretal incluem a adoção de um estilo de vida saudável, que conta com a prática regular de exercícios físicos.

Também não é aconselhável o consumo de bebidas alcoólicas e cigarros, além de manter uma dieta livre de alimentos processados, como as salsichas, e de produtos que levem em sua composição corantes ou conservantes. O alto consumo de carne vermelha também aparece conectado ao desenvolvimento do câncer de cólon e reto e, por isso, manter uma dieta balanceada é essencial para que a doença não se manifeste.

Aconselha-se, ainda, a consulta regular com o médico especializado para que seja feito um diagnóstico precoce, que garante maior sucesso na remoção de pólipos do intestino.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em Londrina!

 

Comentários
Dr. Rafael Onuki Sato

Posted by Dr. Rafael Onuki Sato