Câncer de colo de útero: tratamento e prevenção

O câncer de colo de útero é uma doença tão perigosa quanto silenciosa. Esse tumor maligno ocorre na parte inferior do útero, na região em que ele se conecta com a vagina.

Um dos cânceres de maior incidência entre as mulheres, essa doença viu seu diagnóstico e seus tratamentos evoluírem ao longo dos anos, tornando possível sua detecção mais precoce.

O vírus HPV, principal fator responsável pelo aparecimento da doença, faz com que células localizadas nessa região do útero sofram mutações e se multipliquem de forma desordenada, espalhando-se pelo corpo.

Como é feito o diagnóstico?

Quando em sua fase inicial, essa doença costuma ser detectada por meio do rastreamento feito periodicamente pelo ginecologista durante as consultas rotineiras. Quando em estágio avançado, os exames mais utilizados para sua confirmação são a biópsia, o ultrassom, a ressonância magnética e a tomografia, seja ela computadorizada ou por emissão de pósitrons.

Qual o tratamento para o câncer de colo de útero?

O tratamento para essa doença dependerá do estágio no momento do diagnóstico. Em casos nos quais o câncer de colo de útero já esteja avançado, pode-se optar por um tratamento cirúrgico, em que é retirado o tecido no qual o câncer se manifestou, podendo ser necessário retirar todo o útero da mulher. A escolha de qual parte deverá ser removida dependerá das áreas que foram atacadas pela doença e seu estagio.

Outra opção de tratamento disponível é a radioterapia, em que a radiação é utilizada para matar as células cancerosas. Na radioterapia externa, o raio é aplicado do lado de fora do corpo, enquanto na interna o material responsável pela emissão da radiação é colocado dentro da vagina, atingindo diretamente o colo do útero.

Há, ainda, a quimioterapia, que pode ser utilizada como forma de complementar a ação da radioterapia. Esses dois tratamentos podem ser usados, também, antes ou depois dos tratamentos cirúrgicos. Dessa forma, auxiliam a combater o câncer em estágios avançados e metástases do tumor.

No caso das chamadas lesões pré-cancerígenas, que são a manifestação inicial da doença antes da evolução para o câncer, pode-se recorrer à crioterapia, que consiste no congelamento dos tecidos que apresentam células malignas para que os mesmos sejam destruídos. O tratamento com laser também é uma opção para destruir o tecido que tenha células malignas ou até mesmo pequenas cirurgias chamdas de conização ( retirada de parte do colo do utero). 

É possível prevenir essa doença?

Para prevenir a manifestação desse câncer, é importante proteger-se contra a infecção pelo vírus HPV. A utilização de métodos que garantam o sexo seguro, como a camisinha, é essencial para que não haja o contato da pele na hora da relação sexual, que pode transmitir o vírus.

A vacina contra o HPV também é uma importante forma de prevenção. Substâncias que levam tabaco em sua composição, como cigarros, também devem ser evitadas, já que podem também contribuir para o crescimento das células cancerígenas.

Além disso, é importante que a mulher realize consultas periódicas com um ginecologista quando iniciar sua vida sexual, o que auxiliará na detecção precoce de células que podem evoluir para o câncer de colo de útero.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oncologista em Londrina!

Comentários
Dr. Rafael Onuki Sato

Posted by Dr. Rafael Onuki Sato